Cuidar de Cada Um: Quando um Elemento da Família Adoece, Toda a Família Fica Doente

A família é um contexto natural para crescer e para receber auxílio que no curso do tempo foi elaborando dinâmicas de interação muito específicas entre os seus elementos. A estrutura familiar por sua vez, reage ao seu funcionamento pelos seus membros de família, define a sua gama de condutas e facilita a interação recíproca.

Porém, os membros da família geralmente não se sentem como parte dessa estrutura familiar, pois sentem-se como uma unidade que interage com um todo em interação com outras unidades. É comum nos esquecermos que o nosso comportamento é influenciado pelos outros elementos da família e que nós, também influenciamos os outros.

Quando um elemento da família adoece, toda a sua estrutura é abalada, é posta à prova e é questionada. O elemento que se sente fragilizado pela sua condição, encara a situação muitas vezes com desânimo e tenta passar aos outros elementos o controlo da situação.

Por outro lado, é muito complexo e difícil para os restantes elementos saberem o que se espera deles, o que se espera do seu comportamento, o que se espera que digam. É normal sentirem alguma frustração e muitas vezes, questionarem ao ponto de chegarem ao confronto com o elemento que se encontra doente.

Esta doença pode ser ela tanto quanto física, psicológica ou emocional. Quando a doença é fisicamente visível torna-se mais fácil à família para se reajustar e adaptar-se à nova condição desse elemento. Contudo, quando a doença não é visível aos olhos, tudo se torna mais complexo.

Um elemento com depressão, ansiedade ou esteja a passar por um esgotamento emocional por exemplo, pode ser mal interpretado pelos restantes elementos que podem exigir de si uma resposta física, no entanto, esta resposta é impedida pela sua condição mental. Esta ideia, nem sempre é fácil de compreender e assimilar pelas famílias, principalmente quando num passado recente viam esse elemento como o alicerce, o pilar, a força de toda a família.

De facto, o que sabemos é que se um elemento da família está nestas condições de maior vulnerabilidade, é normal que os seus elementos sofram com ele de diferentes formas e expressem esse seu desconforto e preocupação utilizando diferentes recursos, dependendo do tipo de relação e conexão que têm com esse elemento.

Como os Diferentes Elementos da Família Reagem

Os filhos adolescentes podem ter um sentimento enorme de incapacidade para ajudar e sentirem-se pouco úteis e até mesmo frustrados. Podem ter como consequência, problemas no contexto escolar, alterações de humor mais vincadas e explosões de ira e raiva ou choro.

Já os mais novos, podem facilmente interpretar que a culpa é deles e transformarem esse seu medo num afastamento abrupto com o elemento doente. Uma das consequências mais comuns, é o retrocesso no controlo da urina e na sua autonomia de um modo geral. O adulto tem a tendência para interpretar esse comportamento como uma simples chamada de atenção, desvalorizando essa condição.

O/a companheiro/a, por sua vez, pode ter múltiplas respostas, desde a fuga utilizando para tal, como refúgio a negação e funcionando por isso, como se nada estivesse a acontecer, continuando a manter as suas rotinas intactas. Por outro lado, pode tornar-se num cuidador/a extremo e obsessivo que tende a controlar tudo, não dando o devido espaço ao elemento doente para assimilar e acomodar e sobretudo, experienciar as suas próprias emoções.

Existem, no entanto, outras respostas possíveis, como as famílias que mediante uma crise que é a doença se unem ainda mais e fortalecem esse elemento doente. Seja como for, quando um elemento da família está doente é preciso compreender a naturalidade com que os restantes elementos vão ser influenciados.

Mesmo as crianças mais pequenas, pese embora possam não expressar diretamente, sofrem as alterações das rotinas e absorvem a tensão dentro do espaço da família, por mais que todos os outros elementos se esforcem por não transparecer esse desconforto, esse mal-estar generalizado está patente no seu olhar.

Como Melhorar Essa Condição

Não é fácil lidar com uma situação em que um dos elementos da família está doente e precisa de ajuda, mas por outro, também precisa de espaço.

Uma regra de ouro é ser-se transparente e clarificar a situação. Quanto mais se tentar omitir, fingir e negar aos outros elementos, mais difícil vai ser a sua compreensão.

Em determinadas condicionantes, pode ser necessário e útil renegociar novas regras em casa, assim todos os elementos vão saber o que esperar deles. Para que tal seja possível, é importante que todos os elementos participem, se sentem à mesa para partilhar a sua preocupação, colocar questões e sobretudo clarificar o que está a acontecer.

#psicologia acompanhamento psicológico ansiedade bem-estar brain cliente consulta psicológica covid-19 crescimento pessoal criança crianças cérebro depressão desenvolvimento humano desenvolvimento pessoal dicas emoções felicidade filme gestão mental happiness leitura ler life life style livro mindset padrão de comportamento pais pensamentos personalidade psicologia psicoterapia psicólogo-paciente reflexões relação terapêutica relações serie tv sofrimento stress sucesso sugestão leitura terapia tomada de decisões vida

%d bloggers like this:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close